Quem sou eu

Minha foto
Sou professora da ECI/UFMG e meu objetivo para este Blog é criar um canal de comunicação alternativo com meus alunos e amigos reais e virtuais... :)

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

FONTES DE INFORMAÇÃO ESPECIALIZADA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS
DEPARTAMENTO DE ORGANIZAÇÃO E TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO
DISCIPLINAS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO


DISCIPLINA
FONTES DE INFORMAÇÃO ESPECIALIZADA CÓDIGO OTI-047
PROFESSOR JÚLIA GONÇALVES DA SILVEIRA
DEPARTAMENTO Organização e Tratamento da Informação
UNIDADE Ciência da Informação
CARGA HORÁRIA
TEÓRICA: 30
PRÁTICA: 30
TOTAL: 60
CRÉDITOS: 04

ANO LETIVO: 2º Semestre de 2008
5º período

PRÉ-REQUISITOS CÓDIGOS


CURSOS PARA OS QUAIS É MINISTRADA: Biblioteconomia

CLASSIFICAÇÃO: Obrigatória

EMENTA

O contexto político, econômico e social da informação especializada. O usuário da informação especializada. A produção, o controle e a disseminação da informação especializada: instituições e fontes. Análise das fontes quanto às linguagens de indexação.

PROGRAMA

1. A ciência, a geração e fluxos da comunicação científica, tipologia e características de documentos técnico-científicos componentes da literatura científica e técnica.
2. Indústria de informação especializada: provedores de informação impressas em papel e em formato eletrônico.
3. Instituições e outras fontes de informação especializada: acesso a produtos de informação em formato eletrônico.
4. Conceitos básicos da recuperação da informação eletrônica. Técnicas para pesquisa
em bases de dados e na Internet.
5. O uso da informação especializada nas organizações e o profissional da informação: gestão da informação, inteligência competitiva, gestão do conhecimento.
6. Bases de dados referenciais e de textos completos componentes do Portal da Capes; periódicos eletrônicos da área de Ciência da Informação e interdisciplinares.
7. Avaliação de fontes de informação especializadas.

OBJETIVOS
A disciplina pretende proporcionar conhecimentos sobre a natureza e as características das fontes de informação, necessidades e o uso da informação no contexto da pesquisa e da vida organizacional. O aluno deverá conhecer as principais instituições produtoras de fontes de informação especializada e as principais fontes ou recursos de informação especializada nacionais e internacionais. Deverá relacionar a informação especializada ao gerenciamento de diferentes tipos de organização: empresas, instituições de ensino e de pesquisa, hospitais, órgãos públicos.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA E COMPLEMENTAR

AGUIAR, Afrânio Carvalho de. Informação e atividades de desenvolvimento científico, tecnológico e industrial, Ciência da Informação, v.20, n.1, p.7-15, 1991.

ALMEIDA, Maria do Rosário Guimarães. Literatura cinzenta: teoria e prática. São Luís: Edições UFMA; Fundação Sousândrade, 2000. 174 p.

ASSIS, Wilson Martins de. Informação técnica no Sistema Usiminas.
In: CONGRESSO BRASILEIRO DE BIBLIOTECONOMIA E DOCUMENTAÇÃO, 19, Porto Alegre, 2000. Anais eletrônicos... Porto Alegre: PUCRS, 2000. 21 p.

BARBOSA, Ricardo Rodrigues. Acesso e necessidades de informação de profissionais brasileiros: um estudo exploratório. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v.2, n.1, p.5-35, jan./jun. 1997.

BARRETO, A. de A. A transferência de informação, o desenvolvimento tecnológico e a produção de conhecimento. INFORMARE – Cad. Prog. Pós-Grad. Ci. Inf., Rio de Janeiro, v.1, n.2, p.2-10, jul./dez., 1995.

BARROS, Fernando Antônio Ferreira de. A concentração da produção do conhecimento no mundo contemporâneo. In: MACIEL, Maria Lúcia; ALBAGLI, Sarita (Org.) Informação e desenvolvimento: conhecimento, inovação e apropriação social. Brasília: Ibict; Unesco, 2007. Cap. 12, p. 297-314.

BENASI, Marcos de Toledo. Acesso à base Eric via Internet: o usuário diante de duas interfaces distintas. Transinformação, Campinas, v. 9, n. 2, p. 69-92, maio/ago. 1997.

BLATTMANN, Úrsula et al. Recuperar a informação eletrônica pela Internet. Revista ACB: Biblioteconomia em Santa Catarina. Florianópolis, v. 4, n.4, p. 9-27, 1999.

BRANSKI, Regina Meyer. Localização de informações na internet: características e formas de funcionamento dos mecanismos de busca. Transinformação, v. 12, n.1, p. 11-19, jan./jun. 2000.

BORGMAN, Christine L. From Gutenberg to the global information infraestruture: access to information in the networked world. Cambridge, MA: Mit Press, 2000. 324 p.

CAMPELLO, Bernadete Santos; CALDEIRA, Paulo da Terra; MACEDO, Vera Amália Amarante (Org.). Formas e expressões do conhecimento: introdução às fontes de informação. Belo Horizonte: Escola de Biblioteconomia da UFMG, 1998.

CAMPELLO, Bernadete Santos; CENDÓN, Beatriz Valadares; KREMER, Jeannette Marguerite (Org.) Fontes de informação para pesquisadores e profissionais. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2000. 319p.

CASTRO, C. A. Profissional da informação: perfis e atitudes desejadas. Informação & Sociedade: Estudos, João Pessoa, v.10, n.1, p.142-152, 2000.

CENDÓN, Beatriz Valadares. Ferramentas de busca na Web. Ciência da Informação, Brasília, v. 30, n. 1, p. 39-49, jan./abr. 2001. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ci/v30n1/a06v30n1.pdf Acesso em: 17 set. 2007.

CESARINO, Maria Augusta da Nóbrega. Sistemas de recuperação da informação. Revista da Escola de Biblioteconomia da UFMG, Belo Horizonte, v. 14, n. 2, p. 157-168, set. 1985.

CUNHA, Murilo Bastos da. Bases de dados no Brasil: um potencial inexplorado. Ciência da Informação, Brasília, v. 18, n. 1, p. 45-57, jan./jun. 1989.

CUNHA, Murilo Bastos da. Para saber mais: fontes de informação em ciência e tecnologia. Brasília: Briquet de Lemos, 2001. 168 p.

CUNHA, Murilo Bastos. As tecnologias de informação e a integração das bibliotecas brasileiras. Ciência da Informação, Brasília, v. 23, n. 2, p. 182-189, maio/ago. 1994.

DAVENPORT, Thomas H. Ecologia da informação: porque só a tecnologia não basta para o sucesso na era da informação. São Paulo: Futura, 2000.

DIAS, Walderez Maria Duarte; SILVA, Maria Neves de Oliveira. Uso de bases de dados em bibliotecas brasileiras e americanas. Revista de Biblioteconomia de Brasília, Brasília, v. 15, n. 2, p. 203-215, jul./dez. 1987.

GONTOW, Rejane. Um repensar para os bancos de dados de C&T como suporte à decisão. Transinformação, v. 10, n.3, p. 75-88, set / dez, 1998.

GONZÁLES DE GOMEZ, Maria Nélida. A informação: dos estoques às redes. Ciência da Informação, Brasília, v.24, n.1, p.77-83, jan./abr. 1995.

HARTNESS, Ann. Brasil: obras de referência 1965-1993. Brasília. DF: Briquet de Lemos/lLivros. 1999. 453p.

KREMER, Jeannette. Estratégia de busca. Revista da Escola de Biblioteconomia da UFMG, Belo Horizonte, v. 14, n. 2, p. 187-220, set. 1985.

Krzyzanowski, Rosaly Favero; Taruhn, Rosane. Electronic library for scientific journals: consortium project in Brazil. Information Technology and Libraries, v. 19, n. 2, p. 61-65, 2000.

LANCASTER, F. W. Busca em bases de dados. In: LANCASTER, F. W. Avaliação de serviços de biblioteca. Brasília: Briquet de Lemos, 1996. Cap. 11, p. 187-225.

LOPES, Eunice de Faria. Avaliação de serviços de indexação e resumo: critérios, medidas e metodologia. Revista da Escola de Biblioteconomia da UFMG, Belo Horizonte, v. 14, n. 2, p. 242-258, set. 1985.

MARCONDES, Carlos Henrique; SAYÃO, Luís Fernando. Integração e interoperabilidade no acesso a recursos de informação. Ciência da Informação, Brasília, v. 30, n. 3, p. 24-33, set./dez. 2001.

MARDERO Arellano, Miguel Ángel et al. (Org.) Guia de fontes de informação para editores de periódicos científicos. Brasília: Departamento de Ciência da Informação e Documentação da Unb, 2007. 55 p.

MARTINEZ, Adriana Maria Evaristo. A indústria da informação no Brasil. Perspectivas em Ciência da Informação, v. 4, n.2, p.211-216, 1999.

MENOU, M. J. Cultura, informação e educação de profissionais de informação nos países em desenvolvimento. Ciência da Informação, Brasília, v.25, n.3, p.298-304, set./dez. 1996.

MUELLER, Suzana Pinheiro Machado. A ciência, o sistema de comunicação científica e a literatura científica. In: CAMPELLO, Bernadete Santos; CENDÓN, Beatriz Valadares; KREMER, Jeannette Marguerite (Org.) Fontes de informação para pesquisadores e profissionais. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2000. Cap. 1, p. 21-34.

PAIVA, Denise Werneck de. Perspectivas do agente da informação no contexto brasileiro. Ciência da Informação, Brasília, v. 19, n. 1, p. 48-52, jul./dez. 1990.

PEREIRA, Lúcia Maria Modesto; SANTOS, Maria José Veloso da Costa; BREGLIA, Vera Lúcia Alves. Produção e uso de bases de dados em países em desenvolvimento: um enfoque para a América Latina. Revista de Biblioteconomia de Brasília, Brasília, v. 18, n. 2, p. 213-227, jul./dez. 1990.

PEREIRA, Maria de Nazaré Freitas et al. Bases de dados na economia do conhecimento: a questão da qualidade. Ciência da Informação, Brasília, v. 28, n. 2, 1999. Disponível em: < http://www.ibict.br/cionline/viewarticle.php?id=340&layout=abstract>. Acesso em: 28 fev. 2008.

PINTO, Maria Cristina Mello Ferreira. Análise e representação de assuntos em sistemas de recuperação da informação: linguagens de indexação. Revista da Escola de Biblioteconomia da UFMG, Belo Horizonte, v. 14, n. 2, p. 169-186, set. 1985.

PONTES, Cecília Carmen Cunha. Bases de dados em ciência e tecnologia. Transinformação, v. 2, n. 2/3, p. 33-42, maio/dez., 1990.

ROBREDO, Jaime. Documentação de hoje e amanhã. 2. ed. rev. e ampl. Brasília: Edição de Autor, 1986. Cap. 6: A armazenagem e a recuperação da informação. p. 265-306.

RODRIGUES, Ana Vera; CRESPO, Isabel. Fonte de informação eletrônica: o papel do bibliotecário de bibliotecas universitárias. Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, v. 4, n. 1, p. 1-18, jul./dez. 2006.

ROSETTO, Márcia. Os novos materiais bibliográficos e a gestão da informação: livro eletrônico e biblioteca eletrônica na América Latina e Caribe. Ciência da Informação, Brasília, v. 26, n. 1, jan./abr. 1997. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-19651997000100008&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 17 ago. 2007

ROWLEY, Jennifer. A biblioteca eletrônica: segunda edição de Informática para bibliotecas. Brasília: Briquet de Lemos Livros, 2002. 399 p.

SAYÃO, Luís Fernando. O universo das bases de dados. 30 p. (Trabalho elaborado para o curso “Aplicação da Tecnologia ao Desenvolvimento de Bibliotecas”, programa de treinamento promovido pela Divisão de Gestão da Informação/ Rede Bibliodata, com o apoio de The Andrew W. Mellon Foundation).

SILVEIRA, Júlia Gonçalves da. Bases de dados e bibliotecas digitais no Brasil. Belo Horizonte: [s.n.] 2006. 10 p. (Texto apresentado durante concurso público prestado para o cargo de professor adjunto da Escola de Ciência da Informação da UFMG).

SILVEIRA, Júlia Gonçalves da. Fontes de informação de antiquários: proposta de um modelo de análise e de categorização. Belo Horizonte: Escola de Ciência da Informação da UFMG, 2006. 232 p. (Tese, Doutorado).

SILVEIRA, Júlia Gonçalves da. Fontes de informação de antiquários. In: Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação, 8º, 2007, Salvador. Anais... Salvador: UFBa, 2007. 18 p. (CD-Rom). Disponível em: http://www.enancib.ppgci.ufba.br/artigos/GT3--234.pdf
Acesso em: 19 maio 2008.

SILVEIRA, Júlia Gonçalves da. Fontes de informação eletrônicas para pesquisadores e profissionais. Belo Horizonte: [s.n.] 2004. (Apostila elaborada e utilizada em cursos já ministrados pela autora).

TOMAÉL, Maria Inês; VALENTIM, Marta Lígia (Org.) Avaliação de fontes de informação na Internet. Londrina: EDUEL, 2004. 155 p.

TOMAÉL, Maria Inês et al. Avaliação de fontes de informação na Internet: critérios de qualidade. Informação & Sociedade: Estudos, v. 11, n. 2, p. 1-14, 2001. Disponível em: http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/293/216
Acesso em: 26 maio 2008.

VALENTIM, Marta Lígia Pomim. A indústria da informação e os produtores de bases de dados em C&T. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 7, n. 1, p.23-37,jan./jun.2002. Disponível em: http://www.eci.ufmg.br/pcionline/viewarticle.php?id=369&layout=abstract Acesso em: 17 de set. 2007

ZAHER, Célia Ribeiro; MENEGAZ, Ronaldo. Biblioteca digital de acervos raros: uma rede brasileira. Leituras: Revista da Biblioteca Nacional, Lisboa, v. 3, n. 9/10, p. 293-310, out./out. 2001-2002.


AVALIAÇÃO

Resumos................................................................ 20 pontos
Trabalho sobre Organizações como fontes de
informação.............................................................20 pontos
Trabalho sobre Portal Capes e Glossário ............. 20 pontos
Prova Final ........................................................... 30 pontos
Participação individual..........................................10 pontos
TOTAL:................................................................ 100,0 pontos

Obs.: Na avaliação da participação individual serão considerados: a totalidade de freqüência às aulas desta disciplina, o cumprimento de prazos estabelecidos para entrega de trabalhos em grupos e individuais e a auto-avaliação.

Um comentário:

Jack disse...

Que bom ter este canal de dontato! Fui graduado aí na ECI em 2000. Gostaria de sugerir a colocação de textos (artigos e afins) para que possamos ler e trocar informações. Isto é muito importante para quem está se graduando e também para quem já se formou. Parabéns.
João B. Rodrigues